Material destinado ao ensino e aprendizagem de genética básica

Difusão: laboratórios de biometria e bioinformática da Universidade Federal de Viçosa

Site: www.ufv.br/dbg/biodata.htm

Rede social: https://www.facebook.com/GBOLnews

Email: cdcruz07@gmail.com

Telefone: 0xx31 3899.2905/2906

 

 

 

 

Temas:

 

 

 

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: http://www.jet.com.br/Design/editoraufv/Produto/6553308368_genetica-gbol-editora-ufv.jpg

 

 

 

Descrição: https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRkDufD1_al39p8UluBLHzeHUssIFPXc1eQ7PBEaPh81FuNrNVs

Participe e deixe seu comentário sobre esta página!

 

1. CITOLOGIA

 

2. FORMAÇÃO DE GAMETAS

 

3. HERANÇA MONOFATORIAL

4. GENES INDEPENDENTES

5. MODIFICAÇÕES NA RF

6.  MUTAÇÕES E ALELOS MÚLTIPLOS

7. CARÁTER SEXO

8. LIGAÇÃO FATORIAL

9. PROBABILIDADE

10. GENÉTICA MOLECULAR

11. CITOGENÉTICA

12. GENÉTICA DE POPULAÇÕES

13. GENÉTICA QUANTITATIVA

14. HERANÇA EXTRANUCLEAR

 

 

 

Projeto:  Genética e Mídia – Nova estratégia para ensino e aprendizagem.

Executores:  Universidade Federal de Viçosa – Departamento de Biologia Geral – Laboratório de Bioinformática / BIOAGRO  e Laboratório de Biometria /DBG.

 

Responsáveis:

            Fábio Rodrigues - https://www.facebook.com/fabinho.rodrigues.5?fref=ts

            Marciane Oliveira - https://www.facebook.com/marcianesilvaoliveira?fref=ts

Cosme D. Cruz - https://www.facebook.com/profile.php?id=100004095905810&fref=ts

 

Colaboradores

Daiana Salles Pontes - https://www.facebook.com/daiana.sallespontes?fref=ts

Gabi Nunes Silva - https://www.facebook.com/gabi.nunessilva?fref=ts

Gislayne Faria - https://www.facebook.com/gislayne.faria.7?fref=ts

Haroldo Silva Rodrigues - https://www.facebook.com/haroldo.s.rodrigues?fref=ts

Isabela de Castro Sant’Ana - https://www.facebook.com/isabela.santanna.9?fref=ts

Luiza da Matta - https://www.facebook.com/luh.damatta?fref=ts

Ricardo Cabral - https://www.facebook.com/ricky.cabral.3?fref=ts

Vinícius Quintão Carneiro - https://www.facebook.com/vinicius.quintao.56?fref=ts

 

Se desejar, faça comentários sobre nossa página. Críticas e sugestões são bem vindas.

 

Lembre que o programa GBOL é distribuído gratuitamente para a comunidade científica. Assim o formulário abaixo permitirá avaliar a demanda e o uso do software e do site, bem como estabelecer contatos futuros.

 
 
Nome:        
 
Instituição: 
 
Cargo/Função:
 
Endereço:    
 
Cidade:        UF: 
 
CEP:  PAÍS: 
 
Fone:  DDD:  Fax: 
 
E-Mail:      
 
Digite seus comentários :

 
 
 
 
 
 

 

           

GBOL como instrumento de ensino e Aprendizagem

 

 Há consenso de que o ensino de genética, nos mais diversos níveis de formação acadêmica, não tem sido tarefa fácil, de forma que inúmeros educadores se preocupam, cada vez mais, em adotar mecanismos que permitam levar os conhecimentos de forma agradável e eficaz para todos, inclusive para aqueles que, a princípio, não demonstram grande interesse pelo assunto. Uma ferramenta eficiente, porém ainda pouco empregada, tem sido o uso de recursos computacionais como instrumento de ensino.

Atualmente os recursos tecnológicos disponíveis são suficientes e capazes de contribuir para a melhor comunicação, difusão de informação, produção do conhecimento. Neste contexto atual, os centros de educação, além de permitir o acesso à informação, necessitam instruir os alunos de forma que eles possam transformar frações de informação em conhecimento. Esta nova filosofia de ensino, bem como novos métodos de acesso à informação devem ser repassados em todos os níveis do saber. Os programas de educação, como meio de desenvolvimento de pessoas, enfrentam um desafio que não é somente o de atrair aquele que participa, mas também retê-lo no processo de aperfeiçoamento.

Com o advento da internet, a web adicionou uma pitada de inovação na metodologia de ensino-aprendizagem, adaptando a Internet e as mídias digitais como alternativas de infraestrutura para as novas estratégias no processo de educação. Deseja-se com o ambiente virtual oferecer condições e infra-estrutura de comunicação para o ensino-aprendizagem, como aquelas encontradas nos ambientes de sala de aula tradicional. Várias instituições  empregam às tecnologias de informação e comunicação emergentes o suporte para o desenvolvimento da modalidade de ensino não-presencial baseados na web. O que visa dinamizar esta modalidade de ensino e permite o acesso a um número cada vez maior de profissionais que necessitam de aprendizagem em temas específicos ou reciclagem

O laboratório virtual de Genética, dentro deste contexto, apresenta-se como uma estratégia pioneira para o ensino, pelo seu conteúdo e pela sua forma. Os temas, sob a forma de hipertexto, são acompanhados de um software em que há apresentação de ilustrações, fotos, animações e de situações simuladas e aleatórias para estudo e auto-avaliação do leitor, tornando o aprendizado dos temas de genética uma atividade simples e agradável. Trata-se de uma forma inovadora de ensino que vem a se somar à abordagem tradicional, em que se apresentam críticas quanto a forma estática e pouco interativa de apresentação de temas da área biologia, tornando difícil descrever processos dinâmicos como, por exemplo, a divisão celular e síntese proteica, dentre outras.

Com este intuito, propomos com o presente projeto apoiar e difundir o programa institucional de apoio a projetos de ensino na Universidade Federal de Viçosa, com a implementação de iniciativas e experiências didáticas e metodológicas que visem à melhoria do processo de ensino-aprendizagem na UFV; produção de recursos e instrumentos didáticos; para contribuir com a dinamização do processo de ensino, sua relação com o conhecimento e com a produção de aprendizagens significativas. Dessa forma, atender a crescente demanda da sociedade acadêmica em sua busca contínua pelo aperfeiçoamento na área de Genética, por meio dos mecanismos mais dinâmicos de ensino.

 

Experiência na área de informática:

Os laboratórios de BIOINFORMÁTICA e de BIOMETRIA são pontos de referências entre estudantes e pesquisadores da UFV e outras instituições no que diz respeito à experiência no desenvolvimento de aplicativos computacionais na área de genética. Estes programas têm sido fundamentais por serem de fácil manuseio, objetivos e abrangentes, atendendo prontamente às exigências do usuário. O programa GENES (CRUZ, 1998), inicialmente desenvolvido em 1987, de distribuição gratuita, é hoje utilizado por inúmeros pesquisadores da área de Genética e Melhoramento do País e do exterior. Vários procedimentos têm sido implementados, estando disponível a versão para Windows, totalmente compatível com softwares de planilhas eletrônica e os editores de texto mais utilizados. Com o avanço da Genética molecular, o programa GENES também foi ampliado e serviu de base para o aplicativo GQMOL (CRUZ, 2011).O programa GQMOL destina-se à análise de dados de genética molecular, permitindo associar a estes, variações manifestadas em características qualitativas/quantitativas.

Ainda, foi desenvolvido o programa o GBOL, que tem por finalidade abordar os principais temas de Genética Básica, fornecendo aos usuários conhecimentos fundamentais para o ensino dinâmico e interativo de Genética. No GBOL  ilustrações, fotos, animações e  situações simuladas e aleatorizadas que permitem superar muitos dos entraves para o ensino e aprendizagem de temas de Genética, tornando esta atividade simples, agradável e atraente para o  usuário do GBOL. Acredita-se que seja apresentada neste programa uma nova estratégia do ensino e para a aprendizagem de Ciência, usando recursos de estímulo, desafio e auto-avaliação por meio de multimídia.

Pretende-se neste projeto promover o ensino de genética, incluindo reciclagem de docentes que atuam no Ensino Médio e discentes de graduação e pó-graduação por meio de informações sobre o tema. Isso será possível pela implementação e aprimoramento de novas rotinas neste programa, e ampliando a divulgação da genética no ambiente de internet baseada na rede facebook (atualmente: www.facebook.com/gbolnews ), com fórum de discussão, seguidores e colaboradores, visando minimizar o problema da distância professor-estudante e dos reflexos da pouca interação.